Musicoterapia e autismo: entenda como a música pode ajudar

Musicoterapia e autismo andam lado a lado quando o assunto é benefícios da música para pessoas com TEA.

É comum que as crianças com autismo apresentem determinados comportamentos que dificultam a aprendizagem, como a hipersensibilidade, por exemplo.

Mas estudos comprovaram que a música pode melhorar a comunicação e a qualidade de vida dos autistas, porque a relação motora e auditiva são cruciais na interação social.

Então, continue lendo esse artigo, pois além de entender a ligação da musicoterapia e autismo, você descobrirá quais os benefícios que a música pode trazer para os autistas.

E, por fim, confira que tipo de música um autista gosta e a hístoria da música popular para pessoas com TEA.

O que o que é musicoterapia e para que serve?

A musicoterapia nada mais é que uma série de técnicas musicais que são empregadas no tratamento de problemas psíquicos, somáticos ou psicossomáticos.

É uma mistura de arte e saúde, que auxilia no desenvolvimento da expressão, da comunicação e do aprendizado.

musica para acalmar autista
Imagem do Pexels

Tanto a música como seus elementos, como o ritmo, o som, a harmonia e a melodia são utilizadas para a reabilitação mental, física e social de pessoas ou grupos.

Confira abaixo como a musicoterapia ajuda pessoas com TEA.

Como a musicoterapia pode ajudar pessoas com autismo?

A musicoterapia traz profundas melhorias em diversas habilidades de crianças com autismo.

Por envolver improvisos e composições, a música auxilia na comunicação, melhora a expressão e aumenta o vocabulário da criança com autismo.

Por conter atividades de imitação e sincronização, a música consegue ativar áreas do cérebro que possuem neurônios-espelho.

E, por isso, auxilia no desenvolvimento social, área que os autistas geralmente possuem dificuldade.

Além de diminuir o estresse, a música ajuda a se expressarem melhor, se comunicarem melhor, a lidarem melhor com suas emoções e melhora a atenção e a disciplina.

Confira abaixo outros benefícios da música para crianças com TEA.

Benefícios da musicoterapia para pessoas com autismo

Pesquisas apontam que autistas possuem dificuldades no processamento da linguagem e atraso no desenvolvimento de alguns circuitos do sistema límbico.

Mas, apesar disso, as partes do cérebro associadas à música se sobrepõem, o que sustenta uma possível reabilitação da linguagem através da música.

Isso porque melhora o comportamento comunicativo e social devido ao aumento da atenção compartilhada.

Segundo terapeutas, as músicas são capazes de estimular as crianças com autismo em diversas áreas, como por exemplo:

  1. Melhora a comunicação das crianças com autismo, pois o ato de cantar ou tocar consegue ligar regiões do cérebro tanto motoras, como auditivas;
  2. Auxilia a comunicação vocal, não vocal, comunicacional, cognitiva e emocional;
  3. Ativa determinadas regiões do cérebro ligadas ao processamento de emoções;
  4. Ajuda a desenvolver a interação social;
  5. Melhora o processamento do espaço temporal;
  6. Desenvolve a criatividade, além de promover uma satisfação emocional;
  7. Melhora o desenvolvimento auditivo com os diferentes sons presentes na música;
  8. Promove a atenção compartilhada, a imitação e a reciprocidade;
  9. Ajuda a desenvolver a coordenação motora, devido aos gestos e danças;
  10. Auxilia no fortalecimento das relações e do ambiente do dia a dia;
  11. Desenvolve a linguagem e competências sociais;
  12. Diminui as tensões, além de canalizar os sentimentos.

Os estímulos causados pelas músicas causam novas percepções para o cérebro das crianças autistas.

Além disso, uma música para acalmar autista também pode gerar o efeito de hiper foco e de outros estímulos sensoriais.

Musicoterapia e autismo entenda como a música pode ajudar
Imagem do Pexels

Por que autista gosta de música?

Os autistas têm mais sensibilidade para diferenciar timbres, notas musicais e identificar a voz.

Muitas crianças com autismo apresentam propensão à música, assim como facilidade em lidar com instrumentos musicais.

Além de estimular a expressão corporal, a música é capaz de alterar as emoções, trazendo benefícios para a saúde física e mental da criança com autismo.

Ademais, a música auxilia no processo de socialização com o mundo, aumentando os laços comunicativos entre pais e familiares.

O estudo da música estimula o autocontrole, o foco e a atenção, além de gerar motivação, autoconhecimento e aprimoramento motor.

Que tipo de música o autista gosta?

Vamos aos principais tipos de músicas que pessoas com autismo gostam de escutar.

Mas lembre-se que cada ser humano é diferente um do outro.

Então, é importante testar os gêneros musicais indicados abaixo para, assim, descobrir qual se encaixa melhor.

Música clássica

A música clássica consegue despertar uma série de sentimentos em seu ouvinte.

Por usar vários instrumentos musicais, como piano e outros instrumentos de corda, a música clássica consegue alcançar tonalidades e timbres diferentes, criando um som com sentimentos.

A música clássica pode colocar uma pessoa em um estado meditativo e de profundo relaxamento.

Por isso, é usada como música para acalmar autista.

Isso porque esse gênero musical consegue tranquilizar seus pensamentos e manter as pessoas focados por mais tempo. É o que relata Alison Pintangueira do Portal Versos e Provas em sua coluna.

Portanto, além de fazer bem para o cérebro, apreciar uma música clássica também melhora a memorização das informações.

Rock

São vários os relatos de pessoas autistas que se desenvolveram ao começar a escutar rock, devido ao seu som peculiar, que consegue estimular bastante pessoas com autismo.

Inclusive, existem várias bandas de rock formadas por jovens autistas espalhadas pelo mundo.

Então, vale a pena tentar encaixar musicoterapia e autismo no bom e velho rock in roll.

Jazz

Com a presença de metais, bateria e piano, o Jazz consegue trazer um swing distinto da música clássica.

Além disso, esse gênero musical traz harmonia, tranquilidade e auxilia no aumento da criatividade.

Músicas de meditação

Em geral, as músicas de meditação trazem ritmos relaxantes, mantras e sons da natureza, misturando o místico e o instrumental.

Esse gênero musical traz paz e tranquilidade, assim como busca equilibrar a mente, o corpo e as energias.

Você pode escolher também um bom óleo essencial para utilizar enquanto a criança autista se concentra na meditação.

A medicação é uma excelente música para acalmar autista.

Mas independente do gênero musical, a música traz inúmeros benefícios, então vale a pena identificar qual deles atende melhor as necessidades do momento.

Conclusão sobre musicoterapia e autismo

As músicas auxiliam a interação do autista com outras pessoas, além de proporcionar a sua participação em atividades conjuntas.

Devido à natureza profundamente social das atividades musicais, as músicas têm o condão de facilitar tanto o convívio social, como também melhoram a aquisição de linguagem e promovem autocontrole das habilidades motoras.

Por isso, as músicas tão usadas no tratamento de crianças e adultos autistas, sendo um verdadeiro potencial terapêutico e educacional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.